5 de jun de 2012

O cão idoso - parte 3

Chegamos ao fim desta trilogia de posts.
Já falamos aqui sobre os sinas da senilidade, problemas de saúde e alterações do metabolismo dos nossos pets nesse período da vida. Então, a única coisa que está faltando, é falar sobre o manejo e cuidados específicos com o cão velhinho.


CUIDADOS ESPECIAIS COM O CÃO IDOSO:

  • Com a diminuição do metabolismo, a requisição de energia é menor, e por isso, mesmo que continuem comendo a mesma quantidade de ração, é bem provável que ganhem peso, pois gastam menos energia. Sendo assim, uma ração específica para cães idosos pode diminuir o acúmulo de peso;
  • Cães idosos tendem a sentir mais frio, por isso, mantê-lo em locais protegidos do vento e umidade, e em muitos casos, utilizar roupinhas;
  • Evitar longos períodos de exposição ao sol, e manter sempre água à disposição do animal;
  • Como passam grande parte do tempo deitados, providenciar acolchoamento para que não fiquem deitados diretamente no chão;
  • Manter a cama e as vasilhas com água e comida em local de fácil acesso, para que não precise andar longas distancias e nem subir escadas ou degraus para se deitar ou se alimentar;
  • Caso o animal possua problemas de visão ou audição, não deixar obstáculos ou objetos no caminho para que ele não trombe e se machuque, além de cobrir as piscinas para que não caiam; 
  • Para que não escorregue e caia, não deixá-los em locais úmidos e pisos lisos, o que também pode ser  minimizado pelo uso de tapetes de borracha;
  • Aos que possuem problemas de coluna e devem evitar muito esforço, manter as vasilhas de água e comida em local elevado para que não abaixem demais;
  • Observar sempre o aspecto, odor, quantidade e frequência das fezes e urina;
  • Massagens por todo o corpo e escovação frequente ajudam na identificação de irritação da pele, queda de pêlo, feridas e nódulos na pele, e visualização de pulgas e carrapatos;
  • A realização de exercícios físicos deve permanecer, mas sem exageros, o que pode prejudicar não só as articulações, mas também o sistema cardiovascular;
  • Banhos, higienização das orelhas e dentes continuam sendo muito importantes, e devem continuar sendo realizados, tomando-se bastante cuidado;
  • Mesmo não sendo um filhote e já não saindo para passear tanto quanto antes, a vacinação e vermifugação continuam sendo cuidados essenciais para o seu pet e você;
  • Idas frequentes ao veterinário ajudam a reconhecer os problemas e também a resolvê-los. Não deixe de fornecer as medicações prescritas e realizar exames periódicos para check up da saúde do seu companheiro. Nunca forneça medicações por conta própria ou sem a indicação de um Médico Veterinário;
  • Continue cuidado com muito amor e carinho do seu companheiro, pois nessa fase, ele precisará do seu apoio mais do que nunca!

Beijos,

     Michelle:)
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário